¿Por qué as escolas deben usar Software Livre?

Por que escolas devem usar exclusivamente software livre

por Richard Stallman

Existem razões gerais pelas quais todos os usuários de computador devem insistir em software livre: ele dá aos usuários a liberdade de controlar seus próprios computadores — com software proprietário, o computador faz o que o dono do software quer, não o que o usuário quer. O software livre também dá aos usuários a liberdade de cooperar uns com os outros e levar a vida com retidão. Essas razões se aplicam às escolas, assim como a qualquer pessoa. O propósito deste artigo é expor razões adicionais que se aplicam especificamente à educação.

Atividades educacionais (incluindo escolas) têm o dever de ensinar apenas software livre. Aqui estão os motivos.

Em primeiro lugar, o software livre pode poupar dinheiro às escolas. Ele proporciona às escolas, como a outros usuários, a liberdade de copiar e redistribuir o software; então, o sistema escolar pode fazer cópias para todos os computadores que possui. Em países pobres, isso pode ajudar a acabar com a exclusão digital.

escola públicaEssa razão óbvia, embora importante em termos práticos, é um tanto superficial. Desenvolvedores de software proprietário podem eliminá-la ao doar cópias às escolas. (Aviso: uma escola que aceita tal oferta pode ter que pagar para atualizar o software mais tarde.) Então vejamos as razões mais profundas.

Escolas têm uma missão social: ensinar seus alunos a serem cidadãos de uma sociedade forte, capaz, independente, cooperativa e livre. Elas devem promover o uso de software livre, do mesmo modo como promovem a reciclagem. Se as escolas ensinarem software livre, os alunos tenderão a usá-lo depois de se graduar. Isso ajudará a sociedade como um todo a escapar do domínio (e abuso) das megacorporações.

Seguir lendo ¿Por qué as escolas deben usar Software Livre?

Texto Artístico con LibreOffice Writer

Objetos de texto gráfico em documentos

(Traducción ILG pendente de financiación ou voluntariado –contacta-)

Quando estamos elaborando algum  documento, seja texto, planilha ou apresentação, é necessário criar objeto de texto gráfico. No LibreOffice existe o recurso chamado “Frontwork”, onde você pode decorar um pouco mais o seu documento.

Descarga o LibreOffice para o teu computador.

Para acessar esse recurso, é necessário que a barra de ferramentas de desenho esteja ativada. A barra de ferramentas de desenho pode ser ativada nos módulos Writer, Calc, Impress e Draw.
Para ativar a barra de ferramentas,clique no menu Ver >Barra de ferramentas > Debuxo.
letra artistica libreofficeNa barra de ferramentas Debuxo aparecem vários ícones formas diversas, setas, textos explicativos,entre outros. O recurso Fontwork é ativado através do ícone com arepresentação da . Veja o ícone na figura da beira.
Ao clicar no ícone do Fontwork será exibida a janela Galeria do Fontwork com diversos estilos de objetos de texto gráfico. Veja na ilustração a seguir:

texto artístico, libreoffice

Selecione o estilo desejado e clique no botão O OK.
Na área de trabalho, aparecerá o objeto de texto selecionado, com o texto “Fontwork”
Selecione o texto do objeto e digite a palavra desejada. Para confirmar o novo conteúdo, clique fora do objeto.

Para modificar o texto deste objeto, clique duplo sobre ele. Aparecerá um texto em miniatura, no centro do objeto, na cor preta. Você perceberá que o cursor do mouse estará piscando. Esse será o momento de digitar a palavra desejada. Veja a ilustração a seguir com o exemplo:

texto artistico word
Pronto, seu texto já foi modificado. É claro que mais modificações podem ser feitas em seu objeto, mas para isso, é necessário clicar em cima do objeto para que as barras de ferramentas de preenchimento e da Fontwork fiquem visíveis.
O objeto Fontwork esta selecionado quando você vê exibidas as alças ao redor dele.
Navegando pela interface, veja o que é ativado quando o objeto está selecionado.
Para ativar a Barra Lateral, vá em Ver > Barralateral.

Com a barra lateral ativada e o objeto Fontwork selecionado, esta tela será exibida:
(Área, Liña e Posición/Tamaño)

formateo texto artistico libreoffice
Nesta barra de ferramentas existem muitas opções. Encostando o ponteiro do mouse em cada uma delas, aparecerá uma caixa de diálogo com as informações de cada uma. (en Xfce 14.10 non)

Se você estiver com a Barra Lateral ativada, é possível ver as propriedades do objeto.
Uma dica importante para redimensionar um objeto ou uma imagem, mantendo a proporção do tamanho é clicar uma vez no objeto para selecionálo. Encoste o ponteiro do mouse em uma das alças laterias (cor azul).
Você verá que o ponteiro do mouse ficará com a seta invertida. Ao mesmo tempo, aperte a tecla Shift, segure e clique no botão esquerdo do mouse e arraste. Você verá que o seu objeto será redimensionado proporcionalmente.

Após atingir o tamanho desejado, solte a tecla Shift (TEn en conta que vaise manter a proporción da imaxe)

Agardo que sexavos de utilidade.

Adaptación do artigo escrito por  Eliane Domingos de Sousa na Revista LibreOffice Magazine. Outubro 2014

Curriculum vitae con LibreOffice

O que as veces pasa cando unha quere facer un Curriculum Vitae un pouco distinto é que é necesario crear taboas, e si unha non está moi afeita pode ser algo lioso. (Se ainda non tes o LibreOffice podelo descargar dende este enlace) Para facilitar o traballo traducimos uns modelos de Curriculum, que solo tes que completar cos teus dados e poñerlle a túa fotografía.

Curriculum Simple con Taboa Esquerda:(Descargar)

Menú importar imaxe libreofficeCando teñas descargado o ficheiro, e si crees que che gusta, enche os teus datos persoais e académicos nos espazos adicados a elo …. e sube unha fotografía ó documento.

 

 

 

 

 

 

Para elo dirixete a >>inserir >> Imaxe >> Do Ficheiro e escolle a túa mellor fotografía.

menú inserir imaxe libreoffice Unha vez que a imaxe está no documento (agora arranxamos o tamaño !!!) Facemos click co botón dereito sobre  a imaxe, >> imaxe e poñemola ó tamaño de una foto de carné. ( 32 x 26 mm. ) Clcik botón dereito do rato>>imaxe>>aliñar>>dereita (ou esquerda, iso xa é cousa túa XD!!  ) curriculum openoffice

Curriculum con nome destacado (Descargar)

Nete modelo de Curriculum  tes que facer o mesmo coa foto que no exemplo de arriba. Importar unha fotografía, poñela a tamaño carné e aliñala a dereita (ou a esquerda, como ti queiras… XD)

curriculum OpenOffice

Marcos Celeiro. Experiencia de usuario con Soft Livre

Linux vs WindowsComo quen non quere a cousa, no evento que creamos no Facebook para arrancar esta performance de liberación de máquinas e mentes e búsqueda de razóns para non usar Software livre, saíu como quen non quere a cousa esta “conversa”, que merece a pena sen dúbida ler pola posta en manifesto das experiencias de un usuario que parte de cero, con vontade, abrindose ós novos sistemas ó tempo que caía a icona “profesional” OS/2 baixo a futilidade e o populismo da plataforma Win/DOS.
Cando menos quen isto suscribe dsifrutou en sobremaneira lendo as “aventuras” do interlocutor, naqueles tempos que xa había Software Livre… pero caseque ninguén o sabía.

¡ Bo proveito!

Marcos Celeiro  Bem,eu sempre utilizei software livre, porque no meu primeiro computador, um 486 com 4MB de RAM (na altura era uma supermáquina!) o primeiro que fiz foi instalar o sistema operativo IBM OS/2, o qual tinha uma quantidade brutal de software livre, já for o nativo, ou o portado desde unix. Até o sistema operativo tinha uma enorme quantidade de drivers de código livre que melhoravam os comerciais.
Ainda que o sistema operativo era proprietário, sobre ele corriam as XFree86 e todas as aplicações GNU para X, e cumpre lembrar que a primeira suite ofimática que rivalizou com Microsoft foi StarOffice, a suite mais utilizada em OS/2 que acabou liberando o código, passando a chamar-se OpenOffice, e daí sai o que hoje é LibreOffice. E como isto, Netscape Navigator > Mozilla, etc

Seguir lendo Marcos Celeiro. Experiencia de usuario con Soft Livre

Etica Hacker

Definicións de Ética Hacker :

1.- Encuentro Internacional 2014
Aportaciones del Software Libre a la lucha de las izquierdas

“No debate público arredor da identidade “hacker”, xs membrxs do Comité Organizador do Encontro Internacional 2014 “Aportacións do Software livre á loita das esquerdas”, rechazamos seu uso para describir a quenes delinquen a través dos medios dixitais, ó tempo que recoñecemos que o movemento hacker é unha expresión colectiva lexítima que:

* Constituese como un movemento social crítico
* É disruptor do desenvolvemento pechado das tecnoloxías e do aseguramento de clientes ( lock-in) como política das corporacións tecnolóxicas.
* É oposto ó control do coñecemento e promobe compartilo como un dereito
* Amplía e afonda na apropación social das tecnoloxías e as ferramentas.
* Transforma creativamente a realidade cultural, económica e política
* Propón esquemas de aprendizaxe entre iguais, onde aprendemos e aprendese en comunidade mediante relación horizontais e livres.
* Pon as ferramentas centíficas e tecnolóxicas baixo o control dos pobos.
* É disruptor do deenvolvemento pechado das tecnoloxías e do aseguramento de clientes

 

Web do “Encuentro Internacional 2014Aportaciones del Software Libre a la lucha de las izquierdas”.

2.- Mercé Molist:
espiritu hacker

Seguir lendo Etica Hacker

Audrey Tang

Recognizing an inspiring woman for Ada Lovelace Day: Audrey Tang

by Kẏra — Published on Oct 15, 2013 05:14 PM
Today is Ada Lovelace Day, a day for highlighting women making great contributions to science, technology, engineering, and mathematics. This is a holiday of particular importance to the free software movement, to remind us that there are powerful social biases which permeate our movement, sexism and transmisogyny being just two of these.

Ada Lovelace Day gives us an opportunity to recognize contributors in our movement and show them the appreciation they deserve. A personal inspiration I want to write about is Audrey Tang (Traditional Chinese: 唐 鳳), an astonishingly impressive Taiwanese free software hacker.

Photo of Audrey TangPhoto © Isis Kang, Creative Commons BY-NC-ND

Seguir lendo Audrey Tang

Lisa Maginnis

Pendente de traducción por voluntariado.

For Ada Lovelace Day,

highlighting FSF sysadmin Lisa Maginnis

by Zak Rogoff — Published on Oct 14, 2014 05:33 PM
Today is Ada Lovelace Day, when we share stories of women in technology and their achievements.

The holiday is named after a 19th-century English mathematician who is considered by many to be the first programmer. Though generations passed before her contribution was fully acknowledged, she was a pioneer both as a scientist and as a challenger of rigid gender roles. For this Ada Lovelace Day, we’re profiling Lisa Maginnis, who is the FSF’s senior systems administrator.

As the leader of the technical team, Lisa is responsible for choosing, configuring, and maintaining the FSF’s office computers and servers. She uses extensive knowledge of hardware, networking, and electrical engineering to maintain a complex array of all-free software. An alert system sends text messages to her OpenMoko if servers have problems, and she’s no stranger to urgent after-hours trips to the office to get something back online.

Since the FSF is the organizational sponsor of the GNU Project, Lisa also administers https://gnu.org and various GNU development repositories. GNU is a central piece in the free software world, and Lisa plays a larger role in keeping it running than many people know.

Lisa Maginnis

Lisa’s life as a hacker started when she was thirteen, when her mother tried to teach her C programming from a book. Frustrated by her inability to compile the first exercise on Windows 95, she started exploring the Internet and discovered GCC and Slackware GNU/Linux. What followed was multiple weeks of Lisa downloading Slackware over her 56k Internet connection and teaching herself how to install it. By the end, she had not only successfully compiled and run the book’s first exercise, but discovered free software and left Windows for good.

Self-directed and ambitious, Lisa dropped out of college when her professors refused to let her use free software tools for her projects. She put to rest any doubts about her decision when she helped found two companies, and then settled at the FSF.

Seguir lendo Lisa Maginnis

Proxectos Marylin

O proxecto Marylin amosa como a tozuda realidade nos indica que o Open Source e o coñecemento aberto en xeral, así como a eliminación das patentes axudan en todo aquelo que teña que ver coa supervivencia das persoas.

O proxecto Marylin preguntase:

¿Qué pasaría si os productos farmacéuticos poideran ser de codigo aberto como o software?

Creemos que os productos farmacéuticos podense desenvolver sin patentes, e isto repercutiría nun coidado da saúde mellor e menos costoso para todas. “Proxecto Marilyn” prentende desenvolver un novo composto anticancer,9DS, que ten un prometedor futuro según os ensaios, e é o mellor candidato para demostrar a validez da nosa causa social.
Proxecto Marylin

Neoplasia
Neoplasia. Fonte Wikipedia.

Seguir lendo Proxectos Marylin

Ardour

Sendo un inutil nato no referido o audio dixital, co “Ardour” non me queda menos que probar a realizar a instalación no meu Ubuntu 14.04  LTS, por ver (entender) o concepto de conexión cos dispositivos de audio.

Para elo dirixome a páxina  de descargas Ardour .

O primeiro descubremento é que para que o programa funcione compre sincronizar dous elementos: O propio programa de edición Ardour e mais o complemento de conectividade do sistema coa tarxeta de son: Jack.

O que é o Jack
Traducción pendente de financiación ou voluntariado.
Artigo Orixinal en Wiki Flossmanuals.

Starting Jack

 

You need to have the JACK Audio Connection Kit up and running before launching Ardour.

Newly installed software appears in the drop down menus at the top left corner of the desktop. Click on Applications > Sound & Video > JACK Control:

start_jack_ubuntu_1.png

Seguir lendo Ardour

Diaspora

Acompañame en Diaspora.

Compartiendo contenido en Diaspora* facilmente con Firefox

Si tienes cuenta en la red social Diaspora*  aprende cómo compartir contenido de manera sencilla con Firefox.

Logo de Diaspora*

Las redes sociales se han convertido en algo ya imprescindible en internet. Mediante Twitter, Facebook, G+, etc… compartimos noticias, contenido, fotos, información con gente con los mismos gustos, amigos, conocidos o familiares.

Seguir lendo Diaspora